152019mar.
Ação do Detran.SP destaca mulheres com histórias de superação de preconceito e assédio ligadas ao trânsito

Ação do Detran.SP destaca mulheres com histórias de superação de preconceito e assédio ligadas ao trânsito

Ação do Detran.SP destaca mulheres com histórias de superação de preconceito e assédio ligadas ao trânsito


Primeira personagem da série, que vai até 31 de março nas redes sociais, é a mecânica Thais Roland.


O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) lança nesta sexta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a ação #elasporELAS. A série vai apresentar 24 mulheres com histórias de vida ligadas ao trânsito, a fim de inspirar e encorajar outras mulheres a uma nova profissão, um novo comportamento, novos olhares e desafios. Entre os principais pontos abordados pelas personagens estão sempre o preconceito e o assédio – e como elas fazem para encarar e, sobretudo, superar tais comportamentos.

Com postagens diárias nas redes sociais do departamento, sempre ao meio-dia, as próprias mulheres contam suas experiências e ensinamentos. O trânsito figura de forma muito particular em cada uma das histórias, algumas com viés profissional, outras com foco totalmente pessoal. Thais Roland, por exemplo, cujo vídeo abre a ação do Detran.SP, largou a carreira em Ciências da Computação para se dedicar à mecânica. Aos 38 anos, além de consultora automotiva, ela compartilha seu conhecimento com outras mulheres por meio de cursos e vídeos nas redes sociais para ajudá-las a não caírem em “papo de mecânico”. O primeiro vídeo do #elasporELAS está disponível no link http://bit.ly/elasporElasThais

Mulheres ao volante

Quase 40% das 24 milhões de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) registradas no Estado de São Paulo são de mulheres (9 milhões). Só em 2018, 280.332 primeiras habilitações foram emitidas para o sexo feminino, o que representa 46% do total de permissões para dirigir expedidas no período (608.215). Número maior que em 2017, quando o percentual de primeiras habilitações para mulheres foi de 44,8%.

Apesar do elevado número de mulheres no trânsito, quando o assunto é segurança, o cenário é bastante diferente. De acordo com dados do Infosiga-SP, das 5.459 fatalidades no trânsito do Estado de São Paulo, menos de 20% foram de mulheres (1.005).


Fonte: Detran-SP



Avalie esse post