22019abr.
Estudo diz que jogos e filmes deixam motoristas mais agressivos

Estudo diz que jogos e filmes deixam motoristas mais agressivos

Estudo diz que jogos e filmes deixam motoristas mais agressivos


Jogos como GTA e filmes como ‘Velozes e Furiosos’ ajudam a tornar motoristas jovens mais agressivos no trânsito.



Um recente estudo levantou dados de 1.000 motoristas jovens sobre o impacto que eles sentem quando vêm jogos, filmes e programas de tv quando estão atrás do volante. O resultado foi que 40% deles disse que os jogos fazem “dirigir mal parecer descolado”. Enquanto isso, mais que 1 em cada 3 motoristas acreditam que filmes e programas de TV dificilmente mostram as consequências de guiar de maneira perigosa.

29% concorda que atitudes dos adolescentes enquanto dirigem são negativamente influenciadas por filmes como os da franquia “Velozes e Furiosos”, por exemplo. Segundo uma consultoria para jovens motoristas, a Young Driver, do Reino Unido, essas atitudes podem afetar ainda mais motoristas experientes.

Um em cada 10 (cerca de 9%) motoristas experientes admitiu que ver uma cena bacana de acrobacia/manobra arriscada os fazem pensar como seria incrível para eles realmente tentar fazer isso. O número sobre para 22% para motoristas entre 18 e 24 anos.

Entre os pais, o padrão muda. Eles acham que os jogos dão os jovens a oportunidade de guiar de maneira irresponsável em um ambiente seguro. E apenas 1 em cada 10 (11%) concordam que isso é uma boa maneira de “sair do mundo real”.

“O cérebro adolescente ainda está se desenvolvendo e continua dentro dos 20 e poucos. A última área a desenvolver é o córtex pré-frontal, responsável pelo ‘controle central’ do cérebro. Ele é necessário para tarefas como auto-controle, tomada de decisões, análise de riscos e o ato de dizer não”, diz o especialista Nicola Morgan da Young Driver.

“Então, aos 17 anos adolescentes geralmente não têm um controle central completamente desenvolvido para ajudá-los a tomar boas decisões e controlar suas urgências emocionais. Isso inclui a tomada de decisões arriscadas. Se eles têm uma mente voltada a correr riscos, eles vão colocar a emoção antes da segurança. E mesmo que não, eles podem ser mais guiados pela excitação que a razão”, completou.

Quentin Wilson, também da Young Driver, diz que crianças ou pré-adolescentes que não foram pegos pela “onda” de jogos e programas ou filmes que glorificam a direção perigosa são mais abertos e receptivos a mensagens de segurança veicular.


Fonte: G1

Avalie esse post