242019jan.
Oficinas especializadas representam economia

Oficinas especializadas representam economia

Oficinas especializadas representam economia


Especializadas têm qualidade comparável às concessionárias para manutenção de veículos e podem praticar preços menores, principalmente para carros mais antigos.



Fazer a manutenção do veículo pode envolver custos altos. Por isso, muitos consumidores fogem das concessionárias. Uma opção para ter um serviço de qualidade a preço menor são as oficinas independentes especializadas em uma única marca.

Muitas foram abertas por ex-funcionários da rede autorizada. É o caso da Arcar, na zona oeste, que tem foco nas marcas francesas. Sócio da empresa, Kleberson Diego Gomes aproveitou a experiência acumulada na Peugeot e Citroën e abriu o primeiro ponto em 2012. Hoje, são duas oficinas (Taboão da Serra e Barra Funda) e 100 carros atendidos por mês.

Entre os campeões de reparos estão os câmbios automáticos de Renault Mégane, Citroën C4 Pallas e Peugeot 307. “Falta mão de obra especializada nesses carros. Não são modelos difíceis de mexer, mas a parte eletrônica não é para qualquer um”, explica Gomes.

Os preços são um chamariz. Para a troca da correia dentada de um C4 Pallas, a mão de obra custa R$ 400. Na autorizada Super France, são R$ 1.200.

Outra oficina aberta por um egresso de montadora é a H-Office, que repara carros da Honda. O proprietário Rodrigo Masso conta que, das 90 ordens de serviço mensais, 80% são revisões preventivas de Fit e Civic.
Ele conta que também recebe carros vindos de autorizadas da marca. “Os usados que entram na troca, eles mandam para mim. Fazer os serviços lá mesmo não é vantajoso para eles, já que a hora de trabalho lá custa o dobro do preço da minha.”

CARROS DE LUXO

No segmento premium, há oficinas com décadas de tradição. É o caso da Avanti, que repara carros Mercedes-Benz há 25 anos, e da Bavaria, especializada em BMW desde 1974.

Na Avanti, o jogo de pastilhas para um C 180 custa R$ 700. Nas autorizadas, as da frente custam R$ 680 e as de trás, R$ 660.

Também focada em modelos de luxo, a Land Service atende Jaguar, Land Rover, Porsche e BMW desde 2008. Ali, o preço do reparo do câmbio de um Land Rover Discovery parte de R$ 7 mil. “Nas autorizadas, o gasto será bem maior, porque eles trocam o conjunto todo mesmo quando é possível reparar alguma peça”, diz o dono da oficina, Paulo Benedito.

Na concessionária Caltabiano Pacaembu, o câmbio do Discovery custa R$ 83 mil. Esse valor não inclui os R$ 4 mil cobrados pela mão de obra.

PEÇAS E GARANTIA

As oficinas especializadas podem usar peças compradas em autorizadas (solução mais rápida e cara), obtidas de fornecedores do mercado paralelo ou importadas sob encomenda.

“A gente explica cada uma das opções, o custo e a durabilidade, e o cliente escolhe”, diz Gomes, da Arcar. Algumas oficinas permitem inclusive que o dono do carro leve os componentes. Nesse caso, cobram apenas o valor da mão de obra.

Se os preços menores são atrativos, é preciso considerar que reparos feitos fora da rede autorizada podem provocar o cancelamento da garantia de fábrica. Por isso, muitos clientes trocam a concessionária pela oficina especializada somente após o término dessa cobertura.

“Abaixo de 20 mil km, eu nem aceito o carro. O valor das primeiras revisões na Honda é baixo e a economia que o cliente teria aqui não justificaria a perda da garantia”, diz Masso, da H-Point. “Começa a compensar na revisão de 40 mil km, em que o nosso preço é de R$ 1.000.” Na rede autorizada, o valor sugerido para essa inspeção é de R$ 1.469 para um Civic EXL, por exemplo.

Embora não conte com a cobertura de fábrica, o cliente da oficina independente não fica desprotegido. Pela lei, a garantia mínima para os serviços é de 90 dias. Algumas dão prazos maiores para reparos envolvendo motor e câmbio. São seis meses na Arcar e um ano na Land Service.

Fonte: Jornal do Carro

Avalie esse post